30.1.12

Pier delle Vigne

Non era ancor di là Nesso arrivato,
quando noi ci mettemmo per un bosco
che da neun sentiero era segnato … (Inf, XII, 1-3)
Não dera ainda Nesso do outro lado,
o nosso passo em bosque já se apura
que por nenhuma trilha era cortado.
(Jorge Wanderley)

Mais ainda que na 'selva selvagem e áspera e forte' o ambiente aqui se torna complexo, impenetrável, tomado por arbustos retorcidos com tocos venenosos no lugar dos frutos. Acocoradas naqueles galhos as 'feias harpias', hórridos híbridos entre homens e pássaros, aqui constroem seu ninho... Tudo evoca repulsa, tormento, angustia, assim como a culpa espiada aqui pela eternidade: o suicídio...
Ancor più che nella ‘selva selvaggia et aspra e forte’, qui l’ambiente si fa intricato, impenetrabile, invaso da sterpaglia contorta e nodosa; velenosi stecchi al posto dei frutti. Appollaiate su quei rami le 'brutte Arpie’, orrendi ibridi fra uomo ed uccellacci, qui fanno il loro nido …
Tutto suscita angoscia, tormento, repulsione, come la colpa che qui si espia in eterno: il suicidio …
 

… ‘Allor porsi la mano un poco avante
e colsi un ramoscel da un grande pruno;
e ‘l tronco suo gridò: “Perché mi schiante?” (Ib., 31- 33)


‘Uomini fummo, e or siam fatti sterpi:
ben dovrebb’esser la tua man più pia,
se state fossimo anime di serpi … (Ib., 37 - 39)


E aí erguendo a mão, puxando-o à parte
colhi um ramo de um grande espinheiro
e o tronco então gritou: "por que me partes?"

"Fomos homens, em tronco agora jacentes:
deverias ter mão mais compassiva
até se em nós fosse alma de serpentes"

Na versão original, Dante exibe mais uma vez a capacidade de empregar o som das palavras, que se torna musica estridente e macabra, para enfatizar a atmosfera do lugar e do pecado. É perceptível no som sibilante das duplas consoantes 'ss... sh', que tornam perceptível o assobiar do vento naquela grama árida; na junção dos 'str', aonde sibilo, truncamento e rotacismo criam uma assonância lúgubre, e assim por diante... 
Nella versione originale, Dante esibisce ancora una volta la capacità di usare il suono delle parole, fattosi musica macabra e stridente, per rendere al massimo livello l’atmosfera del luogo e del peccato. Lo si percepisce nelle sibilanti raddoppiate ‘ss …sh’, che fanno percepire il frusciar del vento fra quell’arida sterpaglia; negli accoppiamenti ‘str’, ove sibilo, troncatura e rotacismo creano una lugubre risonanza, e così via …

E pensar que, enquanto escrevia, Dante estava também criando a 'nova' língua; como quem, caminhando, tivesse também que construir a estrada por onde anda... Único, inimitável e impossível de ser alcançado até nisso. 
E pensare che mentre scriveva, Dante stava anche creano la lingua ‘nuova’; come chi, camminando, dovesse anche costruirsi la strada su cui cammina … Unico, irripetibile e irraggiungibile, anche in questo!


Mas vamos em frente: quem está atrás do 'galho quebrado', da qual saem ao mesmo tempo 'palavras e sangue' é Pier de la Vigna, literato, jurista e latinista exímio, além de contador e secretário particular do grande Frederico II da Alemanha.
Ma andiamo oltre: chi si cela dentro la ‘scheggia rotta’, da cui escono insieme ‘parole e sangue’ è Pier de la Vigna, letterato, giurista e latinista eccelso, nonché notaio e segretario particolare del grande Federico II di Svevia.
 

‘Io son colui che tenni ambo le chiavi
del cor di Federigo, e che le volsi,
serrando e disserrando, si soavi,


che dal secreto suo quasi ogn’uom tolsi … (Ib., 58 - 61)



Sou aquele que teve as duas chaves
do coração de Frederico; e impulsos
nele cerrei e descerrei tão suave,

que aos demais fiz de tal segredo expulsos.

E narra o próprio atormentado suicídio, causado pela desonra, insustentável, da difamação:
E racconta la sua tormentata morte di suicida, causata dal disonore, insostenibile, della diffamazione:
 

‘La meretrice che mai da l’ospizio
 di Cesare (la corte imperiale) non torse gli occhi putti,
morte comune e de le corti vizio,


infiammò contra me li animi tutti;
e li ‘nfiammati infiammar si Augusto (Federico II),
che ‘lieti onor tornaro in tristi lutti.


L’animo mio, per disdegnoso gusto,
credendo col morir fuggir disdegno,
ingiusto fece me contra me giusto.’ (Ib., 64 - 72)


... a meretriz que olhar e malefícios
planta no hotel de César moradores,
morte comum, de toda corte o vício,

inflamou contra mim tantos humores
que os inflamados inflamam Augusto
e à minha glória dão luto e rancores.

Meu desdenhoso espírito, que angusto
quis pela morte fugir ao desdém,
o injusto impôs em mim, impôs ao justo.

Síntese extrema de um drama humano igualmente extremo.
Um ano antes da morte e seu amado príncipe, ocorrida em 1249, quando o destino do próprio Frederico estava marcado, este mandou aprisionar e cegar com brasas de carvão seu fiel conselheiro, levado a isso pelas caluniosas acusações de peculato: num primeiro momento apenas sussurradas e insinuadas velhacamente, em seguida murmuradas e, finalmente, revessadas para cima dele com a força devastadora de um torrente em cheia, pelos cortesões lívidos de inveja. Assim, pelo menos, segundo Dante, que não esconde, por trás da condenação pelo suicídio, a admiração pela homem, acusado injustamente de infâmias atrozes.
O próprio Dante subiu análoga acusação infamante, mas não tirou sua própria vida por causa disto. E, enquanto escrevia estes versos, entre 1304 e 1307, a coisa devia ainda feri-lo (quase) mortalmente...
Estrema sintesi di un estremo dramma umano.
Un anno prima della morte del suo adorato, amatissimo principe, nel 1249, quando ormai il destino dello stesso Federico era segnato, questi fece imprigionare ed accecare con carboni ardenti il suo fedelissimo consigliere, a ciò indotto dalle calunniose accuse di peculato: prima bisbigliate e vigliaccamente insinuate, poi mormorate, e finalmente, rovesciate su di lui con la furia devastante di un torrente in piena, dai cortigiani lividi d’invidia. Così almeno, per Dante, che non nasconde, dentro la condanna del suicida, l’ammirazione per l’uomo, ingiustamente accusato d’infamità atroci.

Dante stesso subì analoga accusa infamante, ma non per questo si tolse la vita.  E mentre scriveva questi versi, fra il 1304 ed il 1307, la cosa doveva ancora ferirlo (quasi) a morte…
 

Mas as coisas ocorreram realmente desta forma? Quem era Frederico II, qual enorme influência teve na Itália daquela época e de hoje? É o que veremos no próximo episódio.
Ma le cose andarono veramente così? Chi era Federico II, quale enorme influenza ebbe nell’Italia d’allora e di oggi? Lo vedremo nella prossima puntata.

Nenhum comentário:

Postar um comentário